domingo, 22 de maio de 2011

A série de Fantasia 'Trílio' por Marion Zimmer Bradley, Julian May e Andre Norton

A série de Fantasia - 'Trílio' formado por uma trilogia mais dois livros paralelos e escritos por três das principais autoras do genero. Essa série, na verdade, oficialmente não é considerada uma série em si, mas os fãs a chamam de série 'Trílio'. São livros que até podem ser lidos fora de ordem ou de forma independente, mas após le-los (me falta um para terminar) vejo que não faz sentido le-los de qualquer jeito, se pretende ler todos.

Ordem recomendada de leitura da 'Série Trílio' 

Trilogia




Outros livros complementares:



 Livro por livro:


O Trílio Negro
468 páginas - Marion Zimmer Bradley, Julian May e Andre Norton - Editora Rocco - Trilogia 1

Sinopse 
"Três mulheres, três grandes escritoras de livros de fantasia, reuniram seus talentos para este tipo especial de literatura e criaram uma história mágica, com todos os ingredientes e personagens que fascinam os admiradores de filmes como 'Guerra nas estrelas', 'A lenda', 'História sem fim' e livros como 'As brumas de Avalon'.

Cada escritora desenvolveu a personalidade de uma das três princesas que protagonizaram essa aventura heróica, dando aos leitores uma dimensão real da diferença de temperamentos, e o sentimento da própria história, na qual as três princesas terão de juntar-se a fim de realizar a missão que lhes cabe cumprir.

Tendo como cenário um planeta hipotético – provavelmente ocupado no início por seres humanos – , dois reinos, Labornok e Rwenda, são adversários há muito tempo. Separados pelas íngremes montanhas Ohagan, os dois reinos contam com a proteção de seus respectivos feiticeiros; Binah, bruxa poderosa, defende Rwenda com magias sutis, enquanto Orogastus, mago forte e perspicaz, incita o rei Labornok a invadir e dominar Rwenda."


O Trílio de Sangue
Julian May - 420 páginas - Julian May - Trilogia 2
Página do livro no Skoob.

Sinopse
"Uma história recheada de fantasia, uma terra de reis e rainhas que se aventuram por regiões cercadas de geleiras, magia e paixões avassaladoras — estes são os ingredientes que fazem de O trílio de sangue, de Julian May, um romance para ser devorado. O Mundo das Três Luas, povoado por humanos, duendes, aborígines e outros seres, vive em perfeito equilíbrio sob a regência da Arquimaga Haramis, até ser ameaçado pelo feiticeiro Portolanus, que retorna de Kimilon, a longínqua e inóspita Terra de Fogo e Gelo, para disseminar a guerra e dominar o mundo.

Depois de ouvir a triste história de Shiki, um caçador de peles que teve mulher e filhas assassinadas por Portolanus, a Arquimaga Haramis consulta seu talismã para saber quem é esse malfeitor e que tipo de ameaça ele significa ao equilíbrio do mundo. Atordoada, ela começa a suspeitar que ele é, na verdade, Orogastus, o feiticeiro que amara e que pensava estar morto há muitos anos. Aos poucos, Haramis descobre que a desconfiança tem razão de ser. Orogastus, agora na pele de Portolanus, passou anos confinado até ser resgatado com a ajuda da poderosa caixa mágica da Estrela, e planeja destruir a paz no Mundo das Três Luas.

A avidez em alcançar seu objetivo o leva a fazer alianças com a realeza de povos que também almejam mais poder. Mas ele só terá o que deseja quando conseguir os três talismãs que formam o Cetro do Poder, em mãos de Haramis e suas duas irmãs gêmeas, Kadiya e Anigel. As três formam uma unidade: Haramis é o princípio, a pedra fundamental; Kadiya, o ímpeto e a resistência, e Anigel, a perspicácia humana e o amor desinteressado.

As trigêmeas, no entanto, não dominam completamente a arte de manusear os talismãs. A riqueza do livro está justamente no encanto provocado pela trama fantástica da disputa entre Orogastus e as irmãs pelos amuletos; e a transformação dos personagens femininos com o aprendizado sobre magia, amor, poder, ambição, limitações e valores. O trílio de sangue é aconselhável para aqueles que querem refletir sobre o comportamento humano através de uma leitura romanceada e encantadora."



O Trílio Dourado
Andre Norton - 271 páginas - Editora Rocco - Não faz parte da Trilogia, apenas da série. História paralela que complementa a série. Cronologicamente se encaixa aqui após 'O Trílio de Sangue' e antes de 'O Trílio Celeste'.
Página do livro no Skoob.

Sinopse

"A história das três irmãs gêmeas, princesas Haramis, Anigel e Kadiya, começou com O Trílio Negro. A saga continuou com Julian May em O Trílio de Sangue. Agora Andre Norton retoma a história quando a princesa Kadiya enfrenta um mal infinito de poder abominável que ameaça o reino de Ruwenda. Haramis, Anigel e Kadiya derrotaram o maligno feiticeiro Orogastus, unificaram os reinos de Ruwenda e Labornok e restauraram o precário equilíbrio num mundo dividido.


Com sua espada mística trilobada, Kadiya viaja para os pântanos sufocantes de Ruwenda, buscando cumprir seu destino entre os seus habitantes, os oddlings, cujos exércitos havia liderado uma vez. Kadiya se aventura até a cidade perdida dos Desaparecidos e descobre uma estranha raça, que vive dentro dos muros proibidos. Criaturas minúsculas e inteligentes, conhecidas como hassittis, que esperam pacientemente, mas em vão, a volta dos Desaparecidos. Os hassittis conseguem ´captar sonhos´ de contecimentos e de lugares distantes, e suas visões trazem avisos vívidos e perturbadores sobre uma ameaça desconhecida, vinda das montanhas do oeste. Essa apreensão é logo confirmada por uma misteriosa praga, que se alastra a partir das montanhas ocidentais, uma doença mortal que deixa um rastro de destruição por onde passa.


O Portador da doença maligna se aproxima dos domínios dos skriteks, os terríveis monstros sáurios que se alimentam da carne de criaturas vivas, inimigos dos oddlings e dos humanos, seres que cultivam um ódio implacável. Kadiya, acompanhada apenas de três oddlings, entra no Inferno Espinhoso, o reino pestilento dos skriteks, para enfrentar a origem da praga e descobrir um meio de derrotá-la. Lá se depara com um portal que conduz a um universo de escuridão aterradora, uma passagem fétida que ameaça a existência do mundo das Três Luas."


O Trílio Celeste
Julian May - 367 páginas - Editora Rocco - Trilogia 3
Página do livro no Skoob.

Sinopse
"A incrível saga das trigêmeas da Cidadela de Ruwenda está de volta. A história, que se passa no fantástico Mundo das Três Luas, teve início no livro O trílio negro, escrito a seis mãos por Marion Zimmer Bradley, Andre Norton e Julian May, três dos maiores expoentes da ficção científica e da fantasia. Desde então, foram lançados outros três episódios da saga, sendo que cada título levou a assinatura individual de um dos autores originais da trama. A história continua agora em O trílio celeste, de Julian May.


As trigêmeas são Kadiya, a Dama dos Olhos; Haramis, a Arquimaga da Terra; e Anigel, a rainha de Ruwenda. Só elas têm como trazer de volta o equilíbrio do Mundo das Três Luas, que está ameaçado por todo tipo de fenômeno natural destruidor, como erupções vulcânicas e terremotos. Cada uma delas recebeu no passado um poderoso talismã. Juntos, os três amuletos compõem o lendário Cetro Tríplice do Poder, a única força capaz de restabelecer a harmonia do planeta e defendê-lo do mal. Mas há um problema. Ou melhor, dois: o talismã de Anigel foi destruído numa batalha climática, e o de Kadiya perdeu seu poder. Pelo menos é isso que elas pensam. Além disso, ninguém sabe onde foi parar a caixa-estrela, o recipiente mágico sem o qual não é possível unir os três amuletos.


E isso nem é o pior. As trigêmeas ainda não sabem, mas seu maior adversário, o feiticeiro Orogastus, não está morto como elas imaginavam. Ele estava apenas exilado na Lua do Homem Negro, de onde conseguiu fugir com a ajuda de Nerenyi Daral, a temida mulher morta fundadora da Guilda da Estrela. Ela lhe deu três presentes valiosos: o poder da Estrela; o acesso a um viaduto mágico invisível, capaz de levá-lo instantaneamente ao Mundo das Três Luas; e um frasco de veneno, que ele usa para se livrar de Denby Varcour, seu carrasco, e conseguir fugir. Em troca, a mulher morta lhe dá uma missão: recriar a Guilda da Estrela e retomar o Cetro do Poder, de modo a recuperar o equilíbrio do mundo, dominando o Gelo Conquistador e fazendo o Trílio Celeste brilhar novamente. Seu objetivo parece ser o mesmo das gêmeas, mas há uma intenção diferente em cada lado desse embate.


Um personagem que ganha grande importância neste novo episódio é o príncipe Tolivar, também chamado de Coração Misterioso. Filho de Anigel, ele tem apenas 12 anos, mas não deve ser subestimado. O garoto recuperou a tiara do Monstro de Três Cabeças, o talismã mágico perdido de sua mãe. E a caixa-estrela também está em seu poder. Mas não é sua intenção alardear suas valiosas descobertas. O que ele não sabe é que esses objetos têm um poder imenso e podem ser perigosíssimos para quem não sabe manejá-los corretamente.


Está tudo pronto para o início de uma grande batalha. E as armas deste mundo fantástico são as mais cruéis - uma delas faz o sangue da vítima ferver; uma outra provoca convulsões fatais; e ainda há as que produzem raios letais. Quem for corajoso que compre a briga. Mas primeiro é preciso ter sabedoria para diferenciar o bem do mal, pois no Mundo das Três Luas a fronteira entre os dois lados pode ser muito sutil.
O livro inaugural da saga foi O trílio negro, escrito em parceria por Julian May, Marion Zimmer Bradley e Andre Norton. Depois vieram A senhora do trílio, de Marion Zimmer Bradley, O trílio de sangue, de Julian May, e O trílio dourado, de Andre Norton - todos editados pela Rocco. O trílio celeste dá continuidade à história."



'A Senhora do Trílio
Marion Zimmer Bradley - 324 páginas - Editora Rocco - Não faz parte da Trilogia, mas cronologicamente me disseram que este é o último da série, o único que ainda não li!
Página do livro no Skoob.

Sinopse
"Na década de 1990, três expoentes da ficção reúnem-se para criar três personagens de uma saga. Marion Zimmer Bradley, Julian May e Andre Norton iniciaram, então, a história das princesas trigêmeas de Ruwenda, com a obra O Trílio Negro, lançada pela Rocco.


Em A Senhora do Trílio, Haramis - a Senhora de Branco -, a útima das princesas gêmeas viva, sente que seu fim está próximo. A arquimaga de Ruwenda e Labornok deve encontrar e preparar uma sucessora para garantir o equilíbrio e o futuro do reino. A princesa Mikayla, a escolhida, pensa apenas, no entanto, em se casar com Fiolon de Var e ter uma vida tranquila, longe das tarefas de arquimaga.


Mais uma vez, Marion Zimmer Bradley nos pesenteia com uma história de aventura e amor, cuja trama é repleta de surpresas, muita ação e suspense."

Minha resenha:
Eu li todos os livros, exceto 'A Senhora do Trílio' que é o último e ainda não tive a oportunidade de le-lo (porém já comprei-o!). Com certeza irei lê-lo em breve, pois eu fiquei simplesmente apaixonada pela série, e este é o livro 'solo' da Marion, minha autora preferida. Na verdade, li o primeiro, 'O Trílio Negro' meio que por acaso e por ser co-escrito pela Marion, por ser um livro de Fantasia com uma ótima crítica e por ter encontrado um exemplar barato e em boas condições de conservação num sebo.

Eu não conhecia as autoras Andre Norton e Julian May, mas elas escrevem Fanasia e Ficção Cientifica. No Brasil só publicaram seus livros dessa série, porém elas possuem outros muito bem falados pelo público e pela crítica. Eu gostaria muito de ler outros delas, principalmente da Julian May, gostei muito da sua forma de narrativa e detalhes ricos.

Comecei a ler e achei que essa história é uma verdadeiro contos de fadas com bastante aventura e ação. Cada autora criou uma das três personagens principais, as princesas de Ruwenda. A princesa que eu mais gostei, foi a Kadiya, por ser a mais independente e teimosa. Anigel e a Haramis não ficam para trás, por terem suas próprias características e você nota como as três personagens diferem entre si, como foram bem estruturadas e percebemos o desenvolvimento de cada uma, ao enfrentarem sua falhas e medos. Ao mesmo tempo, notei como elas, por serem diferentes, se complementam e unidas podem ser mais fortes ainda.

Gostei muito do 'Trílio Negro' a primeira aventura delas, o volume 1 da Trilogia, por onde você conhece um mundo próprio, os personagens e toda a história fantástica é introduzida. Os outros povos que vivem com os humanos são interessantes e a magia no ar dá a história um encanto próprio. O que mais gostei nesse livro é que você sente vontade de logo ler a continuação! Cada princesa é maravilhosa, cada uma com seus medos, defeitos, qualidades, sonhos...

Depois vem 'O Trílio de Sangue', o segundo da Trilogia e tive receio em lê-lo por saber que não havia a mão da Marion na escrita. No entanto, Julian May me surpreendeu bastante, ao ponto de admirar mais ainda a história. Nesse livro, conclui-se que as princesas precisam ser mais que irmãs, elas precisam ser amigas e companheiras e se unirem para proteger Ruwenda. Me apaixonei de vez pelos personagens. Eles evoluem muito.

Eu li então 'O Trílio Dourado', não é da Trilogia, mas cronologicamente estaria aqui e também estava receosa com a escrita de Andre Norton. Na minha opinião, não tão boa quanto a de Julian May. Fiquei levemente decepcionada, pois foi este o livro da série que menos gostei, sendo que o destaque fica exatamente na princesa que mais gosto, a Kadiya. É um pouco monótomo no ínicio, mas depois a história evolui e te envolve por completo. É um bom livro, porém o mais fraco de toda a série.

Me animei logo com 'O Trílio Celeste', pois é o último da Trilogia e é escrito pela Julian May, e eu havia gostado do 'Trílio de Sangue' que foi também escrito por ela. A história tem um grande desfecho! Valeu a pena ler (e me encantar!) com a série! Nesse livro, Julian May caprichou na escrita: interessante, marcante, fabulosa! A impressão que tenho é que talvez rolaria uma continuação da Trilogia diretamente... mas sei que restou agora 'A Senhora do Trílio' é não é necessariamente uma continuação, e sim um complemento.  Me sinto órfã das princesas.

O próximo que lerei: 'A Senhora do Trílio' - o último.

Quem gosta de Ficção Científica talvez goste da 'Trilogia do Trílio'. Agora quem gosta de Fantasia... essa série é uma história ideal para você!! Leia primeiramente a Trilogia, se gostar da Trilogia, pode ler 'O Trílio Dourado' como complemento. E claro, 'A Senhora do Trílio' também, pois eu não li ainda mas deve ser bom, afinal, é da Marion!

Atenção: Agora, abaixo NÃO LEIA se você ainda não leu os livros e pretende lê-los! contém 'Spoilers'. Se já conhece a série, sinta-se convidado(a) a deixar um comentário com a sua opinião.


Acharia interessante, ver coisas após o 'Trílio Celeste', a reconstrução de um novo mundo, da luta contra cada problema terrestre, em cada área, de cada povo... gostaria de ver Orogaustus como o Mago do Firmamento em união com sua amada Haramis, Arquimaga da Terra e a terceira Arquimaga, a do Mar, a Iriel... gostaria de saber dos trigêmeos de Anigel e como ela e Antar recriariam Ruwenda... gostaria de saber como seria o despertar dos Desaparecidos da Lua da Morte, como eles conviveriam num mundo bárbaro, mas estou certa de que sua cultura avançada seria muito útil... gostaria de saber se Tolo amadureceu e ainda quer aprender magia, talvez um novo Arquimago?

E sua irmã se casaria mesmo com o Rei Duende unificando os dois reinos? E as tribos aborígenes... estariam mesmo unidas aos humanos na reconstrução? Tenho certeza de que Kadiya seria uma guia perfeita para eles, ainda mais finalmente achar sua vocação sem precisar mais do Olho Ardente Tribolado (como ela sofreu com isso no Trílio Dourado hein!). Anigel também não necessita mais do Monstro das Três Cabeças e gostei do lance dos talismãs terem outros donos e Haramis ser ainda a Dama de Branco. Será que tudo isso fica por nossa imaginação ou há algo em 'A Senhora do Trílio' - único da série que ainda não li?



Marion Zimmer Bradley faleceu em 1999 vítima de ataque do coração, aos 69 anos de idade. Escreveu quase 100 livros, destaque para os 4 volumes de 'As Brumas de Avalon'.



Andre Norton faleceu em 2005, aos 93 anos de idade por insuficiência cardíaca congestiva. Deixou 130 livros escritos.


Julian May já escreveu quase 30 livros e este ano completa 80 anos de idade.

É com grande prazer que escrevo minha resenha sobre esta série pois gosto muito dela e também é com grande honra, afinal fiquei feliz e suspresa com o convite. Obrigada, espero sempre ter boas contribuições. Um abraço.

4 comentários:

  1. Oi Tatinda!

    Obrigada pela presença e colaboração. É um prazer tê-la conosco!

    bj da angel ;)

    ResponderExcluir
  2. Angel, muito obrigada! Postarei sempre uma resenha a cada domingo. Espero que gostem.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não conhecia esses livros. Valeu pela dica!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Hérida, espero que goste. beijo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...