quinta-feira, 15 de setembro de 2011

MAIGRET E O MATADOR - Georges Simenon


Título Original: Maigret et le tueur
Tradução: Paulo Neves
Editora: L&PM
Páginas: 171
ISBN: 978-85-254-1993-4
Ano: 1969
Gênero: Romance Policial


Um rapaz, filho do dono de uma das maiores fábricas de perfumes da França, é brutalmente esfaqueado enquanto saia de um bar, num bairro humilde de Paris. Maigret acaba se envolvendo por acompanhar o médico, seu amigo, até o local.
A partir de ver o rapaz, Maigret sente não só compaixão, mas um sentimento de justiça. Por que tirar a vida de uma pessoa tão jovem?
Em suas andanças, vai topar em muitos obstáculos, e até encontrar o 'matador', não terá sossego.
Uma coisa que eu venho percebendo (não sei se é mera coincidência ou não...) quanto mais recente foi escrito o livro, mais sanguinário Simenon foi ficando... rsrsrs
Se eu acompanhar a evolução dos que li e resenhei nos últimos dias, verei que a medida que vai ficando mais recente, ele vai 'judiando' mais da vítima... hehehehehe [gostei disso!]
Outra curiosidade interessante nesse livro é que é o 1º que eu leio, onde ele cita algum detalhe sobre a idade de Maigret... Ao menos nesse, ele diz ter 63 =D
Agora tem uma frase, que a irmã do morto pronuncia numa conversa com Maigret, que eu acho interessante trazer para discutir.
Ela diz bem assim: '-Por que se deve de uma hora para outra respeitar alguém porque morreu, quando o tratavam sem respeito enquanto vivia?'.
E aí, eu não consegui responder... Alguém se habilita?

4 comentários:

  1. victor ramos (jerome)15 de setembro de 2011 14:16

    Gostou muito de Simenon, e quero muito ler este. Vou comprar.

    abs!

    ResponderExcluir
  2. Não li este ainda, mas sempre imaginei Maigret com esta idade aproximadamente \O/
    Por que respeitar alguém que já morreu? Já pensei nisso algumas vezes e não chego a nenhuma conclusão.
    Desconfio que o que leva as pessoas a agir dessa forma é, por um lado, o remorso, por não terem conseguido respeitar o ser humano quando vivo, e, por outro lado, quando a pessoa foi do tipo cretino quando viva (o que não nos dá o direito de desrespeitá-la, claro, mas torna compreensível) a consciência de que ele não poderá mais mudar, que com a morte perdeu a chance de se tornar um ser humano em toda sua potencialidade.
    Mas são teorias tolas de um final de tarde, o mais correto seria dizer que cada um tem seus motivos e - não raro - eles são indecifráveis.

    ResponderExcluir
  3. Victor, lê mesmo, esses e tantos outros de Simenon que encontrar, sejam Maigret ou não...

    Marcia, eu juro q não tinha uma opinião formada da idade de Maigret... KKKKK

    ResponderExcluir
  4. Esses livros com Assassinos são realmente sua cara "Meu MaRvado Favorito"! Não tenho curiosidade de ler este livro, mas achei a resenha muito bem feita, breve mas cheia de informação.
    Mad, querido, desculpa não ter mais passado aqui, tenho andado tão ocupada, mas sempre que der passo e deixo minha Marca/Comentário.
    Beijos, Boa Semana!

    @camila_marcia
    http://delivroemlivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...